top of page

Xenotransplante: morre paciente que recebeu rim de porco geneticamente motificado

Transplantes de órgãos de porcos representantam um avaço na medicina e uma esperança para as milhares de pessoas nas filas a espera de um doador compatível

Richard Slayman, 62 anos, faleceu quase dois meses após se submeter ao primeiro transplante de rim de porco geneticamente modificado, realizado em março no Hospital Geral de Massachusetts (MGH). Os cirurgiões, que estimavam que o rim suíno duraria pelo menos dois anos, afirmaram que não tinham indicações de que a morte de Slayman estivesse relacionada ao transplante.

Slayman, diagnosticado com doença renal terminal, após complicações com a diálise, recebeu a sugestão de seus médicos para o transplante de rim de porco. Sua família agradeceu aos médicos por seus esforços e expressou gratidão pelo tempo adicional que puderam passar com Richard. Destacaram também a importância do procedimento para oferecer esperança a milhares de pessoas na lista de espera por um transplante.

O xenotransplante, prática que utiliza células, tecidos ou órgãos de animais para curar pacientes humanos, enfrenta desafios devido à rejeição do sistema imunológico humano. No entanto, avanços recentes envolvendo porcos geneticamente modificados têm sido promissores.

Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, cerca de 37 mil pacientes aguardam na fila por um transplante de rim, enquanto nos Estados Unidos, país onde Richard residia, o número de pessoas na lista de espera chega a 100 mil, a maioria delas pacientes renais, a busca por alternativas como o xenotransplante continua sendo crucial para salvar vidas. Outos xenotransplantes realizados em humanos 2019 - Pele de porco na recuperação de queimaduras


Médicos em Massachusetts, nos Estados Unidos, utilizaram pele de porco geneticamente modificada para tratar uma queimadura. Pela primeira vez, um tecido de porco modificado geneticamente foi transplantado diretamente em uma ferida humana, marcando um marco na pesquisa médica. Paciente se recuperou.

2021 - Primeiro transplante de rim de porco em humano


Em outubro de 2021, ocorreu o primeiro transplante de rim de porco em um humano, realizado em Nova York, nos Estados Unidos. O procedimento foi conduzido em uma paciente com morte cerebral que apresentava sinais de disfunção renal. 2022 - Primeiro transplante de coração em paciente vivo


Em janeiro de 2022, um homem de 57 anos dos Estados Unidos recebeu um coração de porco geneticamente modificado como uma solução para sua doença cardíaca terminal. Três genes responsáveis pela rejeição do órgão foram removidos, enquanto seis genes humanos foram inseridos para melhorar a aceitação imune, mas paciente faleceu dois meses após cirurgia. 2022 | Transplantes cardíacos para estudos


Pacientes com morte cerebral recebem transplantes de corações de porcos geneticamente modificados para fins de pesquisa. Em um dos casos, foram realizados testes por três dias para monitorar a aceitação do órgão.


2023 | Segundo paciente cardíaco transplantado


Em setembro, um homem com doença cardíaca terminal recebeu um coração de porco modificado. Apesar de progressos iniciais, o paciente faleceu seis semanas após o procedimento, devido a sinais de rejeição do órgão

2024 | Homem recebe rim de porco Em março, o paciente Richard Slayman recebeu um rim de porco, mas morreu dois meses depois da cirugia. A causa da morte ainda não foi esclarecida. Em nota publicada nas redes sociais, a equipe do hospital disse apenas não haver “nenhuma indicação de que (a morte) tenha sido resultado de seu recente transplante”.


Comments


bottom of page