top of page

Hubble vê o amanhecer de uma estrela parecida com o Sol

As estrelas T Tauri estão em uma fase transitória de suas vidas, evoluindo para se tornarem estrelas movidas a hidrogênio.

As três estrelas são parte de um tipo específico de estrela jovem conhecida como estrela T Tauri | Foto: Nasa

O Telescópio Espacial Hubble da NASA capturou uma imagem fascinante de um trio de estrelas brilhantes, inseridas na cavidade de uma nebulosa de reflexão, que se assemelha a um geodo cósmico resplandecente. O sistema de estrela tripla é composto pelas estrelas variáveis HP Tau, HP Tau G2 e HP Tau G3, proporcionando uma visão estonteante do espaço profundo.


As três estrelas são parte de um tipo específico de estrela jovem conhecida como estrela T Tauri. HP Tau, uma das estrelas do trio, é uma dessas estrelas T Tauri, caracterizadas por serem jovens e ainda em desenvolvimento. Essas estrelas não iniciaram a fusão nuclear, o processo que faz com que estrelas mais maduras, como o nosso Sol, brilhem. As estrelas T Tauri estão em uma fase transitória de suas vidas, evoluindo para se tornarem estrelas movidas a hidrogênio.


As estrelas T Tauri são notavelmente jovens, com menos de 10 milhões de anos. Em comparação, o Sol, uma estrela relativamente estável, tem cerca de 4,6 bilhões de anos. Essas estrelas jovens são frequentemente encontradas ainda cercadas pelas nuvens de poeira e gás de onde se formaram, uma característica que pode ser observada na imagem do Hubble.


A nebulosa de reflexão que envolve HP Tau e suas companheiras é um espetáculo em si. Essas nebulosas não emitem luz própria; em vez disso, refletem a luz das estrelas próximas, criando uma cavidade brilhante e oca no espaço, repleta de cores e brilhos deslumbrantes.


A imagem capturada pelo Hubble não é apenas um deleite visual, mas também uma ferramenta científica valiosa. Ela permite aos astrônomos estudar as fases iniciais da vida estelar e compreender melhor os processos que ocorrem durante a formação de estrelas. Observações como essas ajudam a desvendar os mistérios do universo e a nossa própria origem, já que o Sol e o nosso sistema solar surgiram de um processo semelhante há bilhões de anos.


Mesmo após o lançamento do telescópio James Webb, em 25 de dezembro de 2021, Hubble continua a nos proporcionar visões inigualáveis do cosmos, destacando tanto a beleza quanto a complexidade do universo. As imagens e os dados coletados por esta poderosa ferramenta continuam a expandir nosso conhecimento e a inspirar a próxima geração de cientistas e exploradores espaciais.

Comments


bottom of page