top of page

Combate ao tabagismo ganha força no Dia Mundial Sem Tabaco

Iniciativas de conscientização destacam a importância da luta contra o tabagismo e seus impactos na saúde pública.

No Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, diversas ações e campanhas são realizadas ao redor do mundo para alertar sobre os perigos do tabagismo e promover um estilo de vida mais saudável. Neste ano, a data ganha um destaque especial com a apresentação de novos estudos e iniciativas que reforçam a importância da prevenção e do tratamento do vício em nicotina.


A campanha é uma iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) criada em 1987, tem como objetivo chamar a atenção para os riscos associados ao uso do tabaco e defender políticas eficazes para reduzir seu consumo. A cada ano, a OMS escolhe um tema específico para abordar diferentes aspectos da epidemia global do tabagismo, e em 2024, o foco está na "Proteção da Juventude contra a Manipulação da Indústria e na Prevenção do Uso de Tabaco e Nicotina".


A escolha do tema visa combater as táticas agressivas de marketing da indústria do tabaco, que frequentemente mira os jovens como novos consumidores. O levantamento mais atual do Instituto Nacional de Câncer (INCA), atualizado em janeiro de 2024, mostrou dados “considerando alunos com idades entre 13 a 15 anos, o percentual que experimentou cigarro alguma vez na vida reduziu entre os meninos (19,20% em 2015 para 15,61% em 2019), o que não foi observado de forma pronunciada entre as meninas (18,90% em 2015 para 18,43% em 2020)”.


Evidenciando que, apesar da aparente queda, a luta contra o tabagismo ainda tem um longo percurso a correr, além disso, crianças e adolescentes estão fazendo uso de cigarros eletrônicos com a ideia de que o hábito é menos prejudicial, mas cigarros eletrônicos trazem malefícios semelhantes à saúde ou mesmo pior, declara a Empresa Brasileira de Serviçoes Hospitalares do Governo Federal.


Leia também


Segundo dados da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), há 1,3 bilhão de usuários de tabaco em todo o mundo. O tabaco mata cerca de 8 milhões de pessoas por ano (mais de 7 milhões de fumantes ativos e mais de 1 milhão de não fumantes expostos ao fumo passivo), incluindo 1 milhão nas Américas. A expectativa de vida dos fumantes é pelo menos 10 anos mais curta do que a dos não fumantes. Além disso, o tabaco é o único produto de consumo legal que mata até metade de seus usuários quando usado exatamente de acordo com as instruções do fabricante. As empresas de tabaco gastam mais de US$ 8 bilhões por ano em marketing e publicidade.


A representante da Opas, Socorro Gross, destacou o papel da Agência na regulação de produtos fumígenos, com destaque para a recente decisão de manter a proibição dos dispositivos eletrônicos para fumar, conhecidos como cigarros eletrônicos. “Essa medida será extremamente eficaz para proteger os jovens do consumo desses produtos. Ela representa não só uma vitória para a saúde pública, mas também um compromisso do Brasil em seguir na liderança mundial da agenda do controle do tabaco”, afirmou.


No Brasil, de acordo com o INCA, 443 pessoas morrem a cada dia por causa do tabagismo. R$125.148 bilhões são os custos dos danos produzidos pelo cigarro no sistema de saúde e na economia e 161.853 mortes anuais poderiam ser evitadas. Quanto às mortes anuais atribuíveis ao tabagismo: 37.686 correspondem à Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), 33.179  à doenças cardíacas, 25.683 a outros cânceres, 24.443 ao câncer de pulmão, 18.620 ao tabagismo passivo e outras causas, 12.201 à pneumonia e 10.041 ao acidente vascular cerebral (AVC) 


Para ajudar os fumantes a largarem o vício, várias ferramentas e recursos estão disponíveis. Programas de cessação, que incluem aconselhamento psicológico, terapias de reposição de nicotina e medicamentos, têm se mostrado eficazes. As campanhas de conscientização também ressaltam a importância de um ambiente livre de fumo, promovendo legislações que proíbem o fumo em locais públicos e privados de uso coletivo.


Principais doenças causadas pelo tabagismo


O tabagismo é um dos principais fatores de risco para uma ampla gama de doenças graves. Entre as principais doenças causadas pelo tabagismo, destacam-se diversos tipos de cânceres, doenças cardiovasculares, doença arterial coronária, AVC (acidente vascular cerebra), doenças respiratórias crônicas, doenças do sistema digestivo, problemas de fertilidade e complicações durante a gravidez, doenças bucais, algumas doenças ósseas como a osteoporose; doenças oculares, entre outras.

Comments


bottom of page