top of page

Saiba o que é a erisipela, infecção cutânea que acometeu o ex-presidente Jair Bolsonaro

Embora a erisipela seja uma infecção potencialmente grave, a identificação precoce e o tratamento adequado geralmente resultam em uma recuperação completa

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta do Hospital Vila Nova Star, na capital paulista na manhã desta sexta-feira (17), após um período de internação para o tratamento

contra a erisipela.


A erisipela é uma infecção cutânea causada pela bactéria Estreptococo que penetra na pele através de qualquer lesão existente, geralmente atarvés de uma micose - popularmente conhecidas com frieiras.


O diagnóstico da erisipela é geralmente clínico, baseado na observação dos sinais e sintomas típicos. No entanto, exames complementares, como hemograma, podem ser úteis para avaliar a extensão da infecção e a resposta inflamatória do organismo. Em casos atípicos ou duvidosos, pode ser necessária a realização de culturas bacterianas ou biópsia de pele para confirmar o agente etiológico.


Embora a erisipela seja uma infecção potencialmente grave, a identificação precoce e o tratamento adequado geralmente resultam em uma recuperação completa. No entanto, complicações como abscessos, linfedema crônico e septicemia podem ocorrer se o tratamento for inadequado ou se houver um atraso no diagnóstico. Assim, a conscientização sobre os fatores de risco, os sinais e sintomas, e a importância de buscar atendimento médico imediato são cruciais para o manejo eficaz desta condição.


A doença requer atenção e tratamento rápidos para evitar complicações sérias. A educação em saúde, a atenção às condições predisponentes e o acesso a cuidados médicos adequados são pilares fundamentais na prevenção e no manejo desta doença. A colaboração entre pacientes, profissionais de saúde e sistemas de saúde é essencial para garantir que a erisipela seja tratada de forma eficaz, promovendo a recuperação e prevenindo recorrências.


Para o tratamento consultar um médico e não realizar automedicação


O tratamento da erisipela envolve várias abordagens para erradicar a infecção, aliviar os sintomas e prevenir complicações. O tratamento típico inclui o uso de antibióticos, cuidados locais da pele e medidas de suporte.


A erisipela geralmente é tratada com o uso de antibiótico, depende da gravidade da infecção e das condições do paciente. São necessários cuidados locais da pele, realizando a higiene para manter a área afetada limpa a fim de prevenir a entrada de outras bactérias.


Hidratar a área afetada com cremes hidratantes para manter a pele saudável e reduzir o risco de fissuras.


Se a erisipela afetar as pernas, manter o membro elevado pode ajudar a reduzir o edema e a dor.


É recomendado o repouso da área afetada para evitar a disseminação da infecção.


Controlar os fatores de risco e tratar condições predisponentes como diabetes, insuficiência venosa e micoses, é crucial para prevenir a enfermidade cutânea.


Evitar e tratar lesões de pele tratando adequadamente cortes, feridas e ulcerações que possam servir como porta de entrada para a infecção.


Em casos de erisipela recorrente, o uso de antibióticos profiláticos pode ser indicado.


Realizar acompanhamento médico é importante para monitorar a resposta ao tratamento e ajustar as terapias conforme necessário.


Monitorar sinais de complicações, como abscessos, linfedema crônico ou sepse, é fundamental para intervenções precoces.


O sucesso do tratamento da erisipela depende da identificação precoce e do início imediato da terapia antibiótica adequada. A gestão completa inclui não apenas a eliminação da infecção ativa, mas também a prevenção de recorrências e o manejo das condições subjacentes que predispõem à infecção.

Коментарі


bottom of page