top of page

Criança morre de sarampo após uma década sem mortes pela doença no Canadá

A Public Health Ontario (PHO) relatou que a criança, de Hamilton, foi uma das cinco crianças não vacinadas que adoeceram e acabaram no hospital este ano.

Ontário, Canadá - Uma criança de menos de cinco anos morreu em decorrência de sarampo, marcando a primeira fatalidade pela doença na província em mais de uma década. O caso despertou preocupações sobre a saúde pública e a importância da vacinação.


O sarampo é uma doença infecciosa altamente contagiosa, provocada por um vírus de RNA pertencente ao gênero Morbillivirus, da família Paramyxoviridae. Sua taxa de contágio é extremamente alta, superando a de outras doenças como catapora, Covid-19 e caxumba.


Autoridades de saúde de Ontário confirmaram que esta é a primeira morte registrada por sarampo desde que a doença foi praticamente erradicada na região, graças a um robusto programa de vacinação.


“Esta é uma situação profundamente trágica em que uma criança nos deixou cedo demais, com toda a vida pela frente”, disse o Dr. Brendan Lew, médico associado de saúde de Hamilton, em um comunicado na sexta-feira. 


A Public Health Ontario (PHO) relatou que a criança, de Hamilton, foi uma das cinco crianças não vacinadas que adoeceram e acabaram no hospital este ano, com 22 casos de sarampo no total relatados até agora em toda a província.


Em poucos meses de 2024, Ontário atingiu quase um quarto dos cerca de 100 casos de sarampo documentados em toda a década anterior.


A especialista em doenças infecciosas, Dra. Allison McGeer, chamou isso de tragédia, mas não de surpresa.


“Foram muitos esforços para que a população compreendesse a importância da vacinação e cumprisse o calendário vacinal como prática de rotina”, acrescentou McGeer, que trabalha no Sinai Health System, em Toronto. “Mortes por decorrência de doenças que já têm vacinas eficientes e que já estavam erradicadas tornou-se novamente uma realidade pois perdemos terreno na vacinação contra o sarampo em todo o mundo”.


As taxas de imunização contra várias doenças infecciosas diminuíram nos últimos anos. Isso deu ao sarampo – antes considerado uma doença do passado – uma chance de voltar com força total. 


Em Ontário, por exemplo, a proporção de crianças de sete anos que não receberam nenhuma dose de vacina aumentou drasticamente, de menos de quatro para quase 17%, entre 2019-2020 e 2022-2023, observou um relatório da PHO de Março.


“Muitas pessoas podem ter perdido uma dose de vacina durante período da pandemia, quando vários programas de saúde pública foram reduzidos devido ao enorme impacto que a COVID estava tendo”, disse o Dr. Isaac Bogoch, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Saúde. Rede.


Este ano o número de casos de sarampo também aumentou em Montreal e outras partes do Quebec; as infecções nos EUA já atingiram o nível mais alto desde 2019 ; e os surtos continuam a aparecer em todo o mundo, incluindo um conjunto contínuo de casos em Londres.


Transmissão e sintomas do sarampo


De acordo com informações do Ministério da Saúde (MS), os sintmas do sarampo podem incluir Exantema (manchas vermelhas) no corpo e febre alta (acima de 38,5°) acompanhada de um ou mais dos seguintes sintomas: tosse seca; irritação nos olhos (conjuntivite); nariz escorrendo ou entupido; mal-estar intenso.


Ainda segundo o MS, em torno de 3 a 5 dias é comum aparecer manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo restante do corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade.


O órgão alerta que a transmissão do vírus do sarampo ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes

Comments


bottom of page