top of page

A influência da dopamina e serotonina na capacidade de realizar exercícios físicos

Um estudo mostra a relação entre o exercício físico e as substâncias no nosso cérebro. Entre esses neurotransmissores estão as monoaminas, e entre as monoaminas mais conhecidas estão a dopamina e serotonina, que atuam em vários sistemas fisiológicos e interferem na resposta hormonal, no controle do movimento, na regulação da temperatura e na motivação para o esforço.


A descoberta mostra que quando nos exercitamos, a concentração de substâncias como dopamina e serotonina aumentam. Fazendo com que nossos neurônios fiquem menos ativos, o que pode causar cansaço durante o exercício. Isso é conhecido como "Hipótese da Fadiga Central".


Segundo Patrícia da Conceição Rocha Rabelo, Doutora em Ciências do Esporte pela Universidade Federal de Minhas Gerais, a serotonina e a dopamina desempenham papeis importantes no nosso corpo durante a realização de exercícios físicos. Ela explica em seu estudo, publicado em dezebro de 2023, que a dopamina pode influenciar a atividade da serotonina, e que isso pode ser uma das razões pelas quais nos sentimos cansados durante o exercício.


Ainda de acordo com Patrícia, durante o exercício, a atividade da serotonina e da dopamina aumenta gradualmente. Mas quando nos aproximamos do cansaço, a atividade da dopamina volta ao normal, enquanto a da serotonina continua alta. Isso pode contribuir para a sensação de fadiga durante o exercício.


A relação entre o exercício físico e os neurotransmissores do nosso cérebro tem sido estudada por cientistas que descobriram que o exercício regular pode mudar as vias cerebrais que usam substâncias chamadas monoaminas.


Por exemplo, o treinamento pode fazer com que tenhamos menos receptores para a serotonina e também pode fazer com que tenhamos mais liberação de dopamina depois de certo tempo de exercício. Além disso, a capacidade do nosso corpo de se adaptar ao exercício pode depender da nossa capacidade natural de nos exercitar.


Quando fazemos exercícios muito intensos, como treinos exaustivos, a concentração de serotonina pode aumentar, o que pode nos fazer sentir mais cansados.

Então, podemos perceber que o exercício físico afeta esses neurotransmissores, e ao mesmo tempo, é afetado por eles. O aumento da atividade da dopamina está relacionado a uma melhoria no desempenho do exercício, enquanto o aumento da atividade da serotonina pode levar à fadiga.


A serotonina é um neurotransmissor muito difundido em nosso corpo, e sua atividade aumenta durante o exercício. Isso acontece porque a concentração de triptofano, que é o precursor da serotonina, aumenta durante o exercício. Por outro lado, o cálcio, uma substância importante em nosso corpo, ajuda a produzir mais dopamina. Aumentando a produção da dopamina, consequentemente aumenta sua atividade durante o exercício.


Estudos vêm sendo realizados desde a década de 1970


Esses estudos acontecem desde a década de 1970 e continuam a ser realizados para entender melhor como a serotonina e a dopamina afetam nosso corpo durante o exercício. Descobertas recentes sugerem que a dopamina pode estar envolvida no controle da temperatura do corpo, na produção de hormônios, nos movimentos e na motivação. Enquanto a serotonina, que além de estar relacionada também ao comtrole da temperatura e dos movimentos como a dopamina, pode estar relacionada com o controle de outros fatores como o sono, a dor e o apetite.


A pesquisa de Patrícia conclui que nossa capacidade de fazer exercícios é afetada pela atividade dos sistemas de dopamina e serotonina. Esses sistemas têm um papel importante em coisas como controlar a temperatura do nosso corpo, nos motivar, liberar hormônios e controlar nossos movimentos. essas substâncias são influenciadas pelo tipo de exercício que fazemos, como sua intensidade, quanto tempo dura e como nosso corpo usa energia durante o exercício. Com o treinamento, podemos mudar como esses neurotransmissores respondem ao exercício.

Comentários


bottom of page