top of page

Estudo promete eliminar contaminação por Salmonella em aves

Benefícios podem ser direcionados também para o combate a outras bactérias e fungos



Pesquisadores da Universidade Técnica Federal do Paraná (UTFPR) criaram uma solução em matriz vítrea que tem o objetivo de sanitizar aviários e promete eliminar a contaminação pela bactéria Salmonella spp e outras bactérias e fungosque. Essa solução é aplicada na cama dos aviários na forma de spray ou em pó. A presença de Salmonella é comum em aves e representa um grande risco para os consumidores, além de dificultar as exportações da carne de aves.


Os resultados do experimento podem ser estendidos não somente para a contenção de infecções causadas pela Salmonella spp, os benefícios podem ser direcionados também para o combate a outras bactérias e fungos, incluindo Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae, Staphylococcus aureus, E. coli O157:H7, Listeria monocytogenes, Salmonella typhimurium, Salmonella enteritidis, Salmonella derby, Salmonella senftenberg, Salmonella choleraesuis, Salmonella Heidelberg, bem como os fungos Macrophomina phaseolina, Aspergillus niger e Sclerotinia sclerotiorum, informa a equipe do Grupo de Polímeros e Nanoestruturas da universidade.


O projeto começou em 2017, usando vidros com prata antimicrobiana, mas agora o professor Ricardo Schneider e a pós-doutoranda Gabrielle Peiter focam em vidros biocidas sem metais. O método permite produção em larga escala e economia de energia. Essa solução pode beneficiar a indústria avícola, essencial para a economia brasileira, e ajudar a manter os padrões de segurança alimentar para exportações.


Gabrielle explica que usar vidros como antimicrobianos é pouco explorado. Ela destaca que eaborar síntese de vidros borofosfatos solúveis em água a baixa temperatura (<400 °C) é menos complicado que as temperaturas comumente empregadas (> 1000 °C). A técnica atual do uso de vídros solúvel em água e com ação antimicrobiana, é inovadora, pois não usa metais como prata, cobre ou zinco, tornando sua utilização mais segura.


“A capacidade de dissolução em água permite, por exemplo, a obtenção de géis com ação antimicrobiana com desempenho superior ao álcool em gel”, complementa.


O professor Ricardo Schneider destaca que devido a possibilidade de a matriz ser feita em temperaturas mais baixas do que as convencionais, facilita o aumento da produção e a economia de energia.


“Isso não apenas viabiliza a ampliação da escala de produção, mas também reduz o consumo energético do processo de síntese’’.


Doenças causadas pela Salmonella spp


Salmonella spp é um gênero de bactéria entérica, pertencente à família Enterobacteriaceae, responsável por causar diversas intoxicações alimentares e até mesmo graves infecções que podem levar à morte. A bactéria causa dois tipos de doenças dependendo do sorotipo: salmonelose não tifóide e febre tifoide. A salmonelose não tifoide pode apresentar sintomas bem desagradáveis que incluem:


Diarreia; Vômitos; Febre moderada; Dor abdominal; Mal estar geral; Cansaço; Perda de apetite e

Calafrios.

Este sorotipo da doença geralmente é autolimitado entre pessoas saudáveis, mas em alguns pode evoluir para uma condição mais grave podendo levar à morte.  

A outra doença causada pela salmonela é a Febre Tifoide, é uma forma mais grave da infecção. Seus sintomas são semelhantes ao da versão não tifoide, porém apresentam alguns destaques como:

Dor de cabeça; Indisposição aguda; Convulsões; Delírio e Manchas rosadas.

 

Tratamento recomendado


Normalmente, a salmonelose não tifoide não exige internação. O tratamento em casa é comum e só precisa de repouso, beber bastante água para controlar os sintomas. Não é necessário o uso de antibióticos para casos leves.

 

Mas em casos de grupos de risco, de pacientes que apresentam sinais e sintomas mais severos que normalmente ocorrem quando se trata de um quadro de Febre Tifoide, ou quando a doença se dissemina, pode ser necessário internação e tratamento com antibióticos.

Commentaires


bottom of page